Entre, o mundo interior é teu!

Neste meu mundo, dentro deste coração, você apreciará reflexões sobre a obra do Impecável Carpinteiro. Ele é aquele que não cobra pelos serviços que presta; na verdade, ele pagou ao mundo o direito de aliviar o peso do madeiro sobre os ombros de seus amigos, os viajantes da existência. Meu blog é dedicado, consagrado, a Jesus, se é que terei a honra e a competência de construir algo respeitoso ao Eterno, ao que foi morto, e agora vive. Vive e intercede por gente simples; gente que procura entender corações e mentes de outras gentes simples, modestas, espontâneas.

Continuar lendo...

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

LUCAS 17 – Atitude interior do servo

06/01/2011. Para quem tem só o corpo cansado, dormir não é problema para a mente. Em se tratando de dormir no Casarão do Alcides, sob o zumbido de morcegos acima do forro de lambris deteriorado pelos anos, nós, os cinco meninos, tínhamos preferências não-conflitantes. O Zéia, o Beto e o Gero escolheram o quarto que ficava abaixo do quarto privativo da Sônia. Não me recordo onde a Liete, a menorzinha de então, dormia. Mas o Lando e eu dormíamos no salão superior, vizinho ao quarto da Sônia, que dava para os fundos.

Uma escada de madeira subia do salão do térreo (esvaziado de móveis) para esses ambientes também meio-abandonados do andar de cima. Eu preferira o salão superior para dormir porque de lá eu avistava mais longe - avistava o trem passando e a picoleteria do Seu Zé & Dona Célia; e quase podia tocar o abacateiro e o pé de carambola que se projetavam de duas janelas para o quintal da frente. Entre essas janelas havia uma saidinha, tipo um parlatório, que ligava com o salão por meio de uma porta larga de duas folhas. Esse parlatório deve ter sido usado pelos pais do Seu Alcides para dar ordens aos seus eventuais servos, lá nos idos do século 19. - Após socar com a ponta do cabo de uma vassoura o forro de lambris, para que os morcegos parassem de zumbir até eu desmaiar de sono numa simpática caminha de campanha, pude desfrutar do silêncio que me permitiria curtir o som do trem passando na estrada de ferro e alguns abacates despencando para o quintal duro, sem gramado. --- O silêncio me ensinou atitudes interiores muito importantes. O silêncio dos morcegos me ensinou a ouvir o trem e o vento no dia-a-dia. No silêncio, eu fui apresentado a algumas lágrimas, aos pensamentos soltos e aos sonhos do Pai dos Céus por mim.

IMAGEM: Silêncio de Deus
http://3.bp.blogspot.com/_laUhwj6-XEI/TGqQ4pTYT1I/AAAAAAAABCk/6ZRSjRXk0ws/s1600/silencio.jpg

CANÇÃO: Silêncio – Heloisa Rosa
http://www.youtube.com/watch?v=DeFI8XiTxP4

FRASE: As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar. - Leonardo da Vinci.

CONTINUE LENDO A BÍBLIA PARA VOCÊ VER; o Senhor Jesus diz: O reino de Deus não vem com aparência exterior.

Nenhum comentário: